Medo do Sucesso

ed_12 - spritzer - med_suces

Medo do Sucesso

“O medo do sucesso quer nos preservar um prazer ou evitar sofrimentos”

Pergunte a qualquer pessoa o que ela mais teme, a resposta típica é o medo de morrer ou o medo de fracassar. O maior medo, só que inconsciente, é o medo do sucesso. Quem nunca teve um “ato falho”? Quem nunca pôs a perder uma vitória certa? Quem nunca disse uma palavra errada na hora errada? Quem nunca teve uma apresentação em que na hora “H” deu um branco? Chamamos isso de medo do sucesso, também conhecido como auto-sabotagem. Ela ocorre em maior ou menor intensidade e com praticamente todas as pessoas, sendo que, quando muito intensa pode bloquear a vida de uma pessoa.

Qualquer situação gerada pelo nosso inconsciente tem uma “intenção positiva”, isto é, foi criada para o nosso bem. Isso pode parecer paradoxal, pois como algo que faz mal pode ter um intuito bom? Entretanto, uma coisa é o comportamento e outra é a intenção. Os nossos medos têm intenções positivas. O medo de altura quer nos proteger de quedas. O medo de assaltos quer evitar perdas e até a morte.

Conheci um sujeito que freqüentemente se sabotava nos negócios. Sempre que estava acumulando ganhos num certo nível, ele acabava perdendo tudo. Depois de sucessivas quedas e reerguidas descobri que ele tinha uma motivação inconsciente para nunca superar o que o pai havia conquistado “para não humilhar o velho”. Uma executiva em progressão na carreira se sabotava. Se ela conseguisse o sucesso almejado, seu casamento correria perigo. Um sujeito fazia tudo para ser infeliz (um padrão familiar), pois se ele fosse diferente “não poderá mais pertencer a esta família”. Uma senhora idosa não conseguia dizer não aos filhos por ter medo de ficar só. Um empresário tomava decisões erradas e foi descobrir que tinha medo de “perder a alma” se ficasse rico.

Nosso inconsciente é movido por duas forças, buscar o prazer e evitar a dor. O medo do sucesso quer nos preservar um prazer ou evitar sofrimentos. Assim é com o estudante que sempre que tenta sentar e estudar se distrai, sente sono, vontade de comer. Se ele desistir de estudar e for ao encontro dos amigos, aí estará motivado, alegre e desperto. O sucesso no estudo significa para ele afastamento dos amigos, perda do prazer. Uma jovem advogada fazendo concurso tem um “branco” na hora da prova para a Ordem dos Advogados. O inconsciente dela decidiu que se ela passasse neste exame teria que se mudar da cidade interiorana onde vivia com sua família, ou seja, traria a dor do afastamento.

“É fundamental decidir o que realmente se quer.”

O que fazer? O primeiro passo é dar-se conta do problema e querer mudá-lo. É fundamental decidir o que realmente se quer. A seguir, seja específico no seu objetivo. Diga (escreva) quando, onde, com quem, quanto, quais contextos você quer o que quer. Faça uma pré-visão, uma percepção prévia do resultado desejado como se você já o tivesse conquistado (o cérebro vai ajudar a conquistar aquilo que entender melhor). Certifique-se de que o objetivo é ecológico, ou seja, fará mais bem do que mal tanto a você como aos seus amigos. Certifique-se da importância que alcançar seu objetivo terá para você. Por fim, certifique-se de que os resultados desejados dependem, pelo menos na maior parte, da sua própria ação.

 

Dr. Nelson Spritzer
Neurolinguística / Master coach
CRM 9545

www.dolphin.com.br

 

……………………………………………………………………….
Matéria publicada na Revista Classic Life – Edição nº 12

DR. NELSON SPRITZER

É Mestre em Cardiologia (UFRGS); Doutor em Nefrologia (Escola Paulista de Medicina); Master Trainer em Programação Neurolinguística; Diretor-Presidente do Grupo Dolphin TECH e do Centro Sulbrasileiro de Programação Neurolingüística (PNL). Livros publicados: “Pensamento e Mudança - Desmistificando a Programação Neurolingüística”; “O Novo Cérebro", "Como Obter Resultados Inteligentes”; “Ler Pessoas” e “Mapa da Mina”.