Herança e tradição: Peru reúne cultura e religiosidade

mat _peru_2

Herança e tradição

Peru reúne cultura e religiosidade em heranças deixadas por suas antigas civilizações.

Herdeiro de culturas milenares traduzidas em sua rica tradição, o Peru é um destino privilegiado para o turismo. Traz em sua história a marca de inúmeras civilizações indígenas, além da colonização espanhola. Com mais de 28 milhões de habitantes, é um dos três países das Américas em que os povos indígenas constituem a maioria da população, sendo acompanhado pela Bolívia e pela Guatemala. Embora conhecido por períodos de instabilidade na economia, as belezas naturais, as ruínas de seus antepassados e a história tatuada em seu solo fazem do Peru o destino ideal para quem busca conhecer destinos ricos em beleza e singularidade.

Caminhos que falam

Limitado por Equador, Colômbia, Brasil, Bolívia e Chile, o Peru tem seu litoral banhado pelo Oceano Pacífico. Foi esse território que abrigou a civilização de Caral, uma das mais antigas do mundo, bem como o império Inca, considerado o maior estado da América pré-colombiana. Foi elevado a vice-reinado pelo Império Espanhol no século XVI. República presidencialista democrática dividida em 25 regiões, conta com uma geografia variada e exibe desde planícies áridas da costa do Pacífico, até os picos nevados dos Andes e à floresta amazônica, proporcionando uma grande variedade de recursos naturais.

Essa nação em desenvolvimento, possui uma população multiétnica com alto grau de mestiçagem, englobando ameríndios, europeus, africanos e asiáticos. Embora o idioma oficial seja o espanhol, um grande número de peruanos fala quechua e outras línguas nativas. Essa é uma das provas de que a mistura de tradições culturais produziu uma diversidade de expressões nas artes, na culinária, na literatura e na música.

Uma história contada por várias civilizações

É inevitável que ao pensar no Peru imediatamente lembre-se das imagens de Machu Picchu e do império fundado pelos Incas. Seu impressionante patrimônio arqueológico herdado por suas civilizações mais antigas podem ser vistos pelos caminhos que são testemunhas de sua arte, costumes, ritos e desenvolvimento. Porém, a civilização Inca surgiu bem mais tarde e sua história ocupa apenas um século dentro dos 20 mil anos da presença do homem no território peruano.

Muito tempo antes dos Incas, surgiu ao norte de Lima, capital do Peru, a civilização Caral. Posteriormente, os Chavín instalaram-se na serra norte, obtendo significativos avanços na arquitetura, engenharia e agricultura. Já na costa norte a civilização Moche é reconhecida pela sua cerâmica realista e seus templos piramidais. Nesse mesmo cenário surgiram posteriormente os Chimú, cujo legado mais conhecido é a cidadela de Chan – Chan, um imenso labirinto de muralhas de barro de 12 metros de altura e refinado trabalho arquitetônico.

O Peru também foi habitado, ao sul, pelos Nasca que trouxeram suas impressionantes figuras gravadas sobre a pampa desértica e os Paracas, cujos mantos de seus cemitérios  dão testemunho da visão mágico-religiosa que regia a vida dessa civilização.

Os Incas

A civilização Inca, a mais importante da América do Sul, surgiu séculos depois, entre 1300 e 1500, convertendo Cusco no centro de sua civilização, onde construíram importantes obras como Sacsayhuaman, Písac ou o Koricancha. Nessa terra mito e história se fundiram, mostrando que os caminhos dos Incas, os povos, as pessoas e as tradições são uma mostra constante do sagrado e monumental espírito andino.

Os Incas adoravam terra (Pachamama) e o sol (Inti). O Inca, soberano do Tahuantinsuyo, considerava-se sagrado e filho do sol, por isso que as lendas relatam que o sol enviaram seus filhos (Manco Cápac e Mama Ocllo ou os quatro irmãos Ayar e suas mulheres) para fundar Cusco, cidade sagrada e centro do Tahuantinsuyo. Sua expansão até a Colômbia, Chile, Argentina, Bolívia e Equador é atribuída a sua extraordinária capacidade de organização.

Centenas de anos depois, a herança dessa civilização pode ser observada em cada canto do Peru, em monumentos que sintetizam a espiritualidade, a imaginação e a criatividade de seu povo.

 

Principais pontos turísticos
Cidade de Cusco e Machu Picchu

Patrimônio Mundial desde 1983, está localizada ao sul dos Andes peruanos à 3250 metros de altitude. Conhecida pelos Incas como a “Cidade Sagrada”, Cusco é a capital de um dos principais impérios pré-colombianos: o Tahuantinsuyo. Machu Picchu, localizada ao sul dos Andes peruanos, é a principal atração de Cusco, uma vez que é considerada como o exemplo mais extraordinário da arquitetura paisagística do mundo. Situada no topo de uma montanha que domina o profundo cânion do rio Urubamba, em plena selva tropical, acredita-se que foi um centro de culto e de observação astronômica ou o recinto privado da família do inca Pachacútec.

Complexo arqueológico de Chavín

Um dos lugares sagrados mais antigos da América, o sítio arqueológico de Chavín  representa a síntese do desenvolvimento da cultura andina. Foi construído totalmente de pedra, com corredores subterrâneos e várias estruturas piramidais. Em seu interior podem ser apreciadas figuras em baixo relevo, nos arcos e nas colunas, que combinam caracteres felinos de aves rapinas e de serpentes, elementos sempre presentes na iconografia Chavín.

Parque Nacional Huascarán

Segundo parque mais alto dos Andes da América do Sul, Huascarán constitui o coração da cadeia montanhosa tropical mais alta do mundo. Suas altas superfícies planas e o cume glacial superam os 6000 metros de altura, abrigando diversas espécies de fauna como o condor, a vicunha, o cervo de rabo branco, o puma, a vizcacha, o gato e o zorro andino. O parque Huascarán possui 27 montanhas, 663 glaciais, 269 lagos e 41 rios.

Zona Arqueológica de Chan Chan

Conhecida a nível internacional como a maior cidadela de barro do mundo pré-hispânico, Chan Chan significa “sol, sol” na língua Yunga. A cidade foi centro urbano com um vasto estado regional que dominou a metade da costa peruana desde Tumbes e a fronteira com Equador até o sul de Lima.

Parque Nacional do Manu

Situado entre as províncias do Manu (Madre de Dios) e Paucartambo (Cusco), compreende os territórios do sopé dos Andes Orientais na selva amazônica peruana. A área está habitada por inúmeras tribos indígenas que dividem o espaço com mais de 20 mil variedades de plantas, 200 espécies de aves, 200 espécies de mamíferos, além de répteis, anfíbios e insetos.

Centro Histórico de Lima

Lima, conhecida como a Cidade dos Reis, foi desde sua fundação um oásis da cultura e da elegância na América Espanhola. Igrejas de estilo barroco e renascentista e palácios com sacadas estilizadas constituem sua notável arquitetura. É uma cidade que oferece ao visitante várias opções para encontrar-se com sua história por meio de museus, galerias de arte, lugares de recreação e sítios arqueológicos pertencentes a civilizações anteriores à época inca.

Linhas de Nazca

A duas horas de Ica, as incríveis linhas que traçam diversas figuras de animais, aves e divindades, cobrem o deserto numa extensão superior a 450 km2. As linhas de Nasca, descobertas em 1927, são a herança mais importante deixada pela cultura homônima, uma civilização que floresceu em 300 a.C. Em alguns casos, as linhas atingem uma longitude de 300 metros e, por isso, somente podem ser vista do alto.

Centro Histórico de Arequipa

Segunda maior cidade do Peru, Arequipa está situada ao sul dos Andes peruanos e também é conhecida como a “Cidade Branca”, pelas pedras vulcânicas com as quais são construídas as casas e os edifícios públicos da cidade. Nos arredores de Arequipa existem inumeráveis atrações turísticas como os cânions de Colca e de Cotahuasi, esse último é o mais profundo do mundo.

Caral

Uma das 18 bases arqueológicas identificados no vale, Caral está constituída por uma série de conjuntos arquitetônicos como a Pirâmide Maior, a Pirâmide do Anfiteatro e o Setor Residencial de Elite. O vento sopra com força sobre as areias de Caral, força viva que, talvez, os antigos povoadores buscaram reproduzir através das suas flautas. Feitas de osso de condor e pelicano, as primeiras 32 flautas encontradas no sitio arqueológico significaram uma das maiores surpresas de Caral.

 
Fonte: www.peru.info

………………………………………………………………………………..
Matéria publicada na Revista Classic Life – Edição nº 18
Reportagem por Sabrina Gisele Becker
Jornalista – Mtb 13261

CLASSIC LIFE | Redação

Classic Life é um site de variedades e entretenimento que visa disponibilizar aos leitores conteúdo de qualidade com objetivo informativo e educacional. Artigos sobre saúde, medicina, odontologia, nutrição, psicologia, estilo de vida, gastronomia, turismo, tecnologia, decoração, design, luxo, lançamentos, cultura, eventos, colunistas, entre outros.